04 maio 2014

[Resenha] Como Viver Eternamente - Sally Nichols

geração
Título: Como viver eternamente
Autor(a): Sally Nichols
Editora: Geração Editoral
Gênero: Infanto Juvenil
Sinopse: Sam ama fatos. Ele é curioso sobre óvnis, filmes de terror, fantasmas, ciências e como é beijar uma garota. Como ele tem leucemia, ele quer saber fatos sobre a morte. Sam precisa de respostas das perguntas que ninguém quer responder. ”Como Viver Eternamente”, é o primeiro romance de uma extraordinária e talentosa jovem autora. Engraçado e honesto, este é um livro poderoso e comovente, que você não pode deixar de ler. A autora tem apenas 23 anos e embora seja seu primeiro livro, ele está sendo lançado em 19 países, dirigido a crianças, adolescentes e adultos. 
Sam tem 11 anos e sofre com leucemia. Por 2 vezes, após os tratamentos, os médicos acharam que ele estava curado, mas o câncer voltou, e dessa vez os remédios não estão fazendo efeito. Ele sabe que tem pouco tempo de vida e resolve escrever um livro com pesquisas, sonhos, experiências e perguntas sem resposta. 

O livro, obviamente, é narrado por Sam, então conhecemos seu pequeno mundo pelos seus olhos. A mãe preocupada e protetora; o pai introspectivo; a irmã mais nova que não entende por que ela tem que ir pra escola enquanto o irmão estuda em casa; o amigo Felix que estuda com ele porque também tem câncer; a professora que faz vários experimentos para prender a atenção dos alunos... 

Sam está rodeado de adultos que sabem a gravidade da doença e não querem aceitar o que está prestes a acontecer. Não sou mãe, mas fiquei tentando imaginar o sofrimento dos pais vendo que o filho está piorando sem poder fazer nada pra amenizar. Sam tem alguns desejos que parecem impossíveis, mas junto com Felix consegue realizar alguns deles, vivendo as melhores aventuras de sua vida. A relação entre os garotos é retratada de maneira delicada e emocionante, mostrando que pouca idade não é empecilho pra uma grande amizade.

Sally Nicholls mostrou uma sensibilidade incrível ao retratar os últimos meses de vida de um menino que sabia que ia morrer, mas aproveitou ao máximo o tempo que lhe restava. Seus 11 anos carregavam uma maturidade impressionante, trazendo uma lição a nós, adultos, que desperdiçamos tempo e esforço com tantas coisas inúteis: reclamação, tédio, medo etc. Sam me mostrou que vale a pena correr atrás dos sonhos e aproveitar bem o tempo e os recursos que temos em mãos.
Algumas coisas são perfeitas do início ao fim.
A história é linda, mas não cheguei a chorar nem ficar abalada com o que li. Preferi extrair as coisas boas ao invés de focar nos pontos tristes (ao contrário do que fiz com "ACEDE"). E, ainda na onda da comparação, "Como Viver Eternamente" me remeteu um pouco a "Extraordinário" por algumas semelhanças: um pré-adolescente com problemas impostos contra sua vontade, a estrutura familiar, a história de superação... mas o final infelizmente diverge bastante. 

A revisão está boa, principalmente levando em consideração que é um livro escrito por uma criança, então certos erros são plenamente aceitáveis. A diagramação é uma graça; em algumas páginas tem pedacinhos de papel presos por clips, ingressos colados, folhas de.caderno arrancadas, desenhos... Lindo! E a capa também não deixa nada a desejar: visualmente atrativa, com detalhes em verniz, simples e bonita. A parte que cabia à Geração está impecável.

Ah! Gostaria de usar um pedacinho da carta que a editora mandou. Pra quem não sabe, junto com os livros de parceria, eles enviam uma cartinha falando da história e das impressões de quem leu, nos fazendo um convite irrecusável à leitura. E a Yasmin, responsável pelas parcerias, me convenceu a ler com essas palavras, com as quais eu encerro a resenha:
"Como viver eternamente" é um livro encantador por não falar apenas de morte, mas de vida. Por contar a história de um menino que quer aproveitar a vida e deixar sua marca na história.

Beijos

18 comentários:

  1. adorei a resenha e se o livro ja era desejado agora é ainda mais!
    parece que esses livros tem a função de nos mostrar como é bom viver! como aproveitar cada momento
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Olá! Li esse livro muitos anos, quando estava no ensino médio. Cada página é uma avalanche de sentimentos, tem uma escrita muito sensível em uma história comovente e encantadora. Ótima resenha!
    Bjs...

    Letras & Versos

    ResponderExcluir
  3. Oie flor!!! Noossa eu já estava ansiosa pra ler esse livro e agora fiquei mais ainda, Realmente tem livros tão lindos e emocionantes que não conseguimos chorar, mas porque estamos extraindo coisas boas dele. Algo que me chamou a atenção foi o fato de um garoto de 11 anos ser maduro e conseguir viver seus últimos dias da melhor maneira possível!!! Sam parece ser um garoto que nos conquista de cara pela sua força e otimismo e realmente esse livro não parece falar de morte e sim de vida! espero poder ler em breve!

    Beijos!

    Meu Diário

    ResponderExcluir
  4. Pela resenha já deu para refletir um pouco, imagina então ler o livro todo... Extraordinário está na minha estante há algum tempo, mas ainda não tive coragem de ler, às vezes fico muito abalada com esse tipo de história. Como Viver Eternamente parece ser exatamente assim.

    ResponderExcluir
  5. Oi Giulia! Não conhecia esse livro mas achei uma graça a capa e a história parece linda. Após ACEDE livros que retratam doenças terminais vêm me chamando atenção e apesar de Como viver eternamente não parecer um livro arrebatador quero lê-lo pelas bonitas mensagens que parece trazer.

    Beijos, Greice.
    diariodaalvorada.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  6. Olá, tudo bem?
    Gostei muito da sua resenha. Achei esse livro encantador, com certeza é uma leitura que eu quero fazer. Sei que vou chorar muito, pois não posso ver criança doente que já me derreto toda.

    ResponderExcluir
  7. Oi Giulia, tudo bem?

    Não sei se leria esse livro, já que não vou muito com "livros emotivos". Contudo, gostei dos pontos que você destacou na resenha, como o fato de ter focado nas coisas boas e não nas ruins, e as semelhanças que você encontrou com outros títulos, que também não li.

    Abraços,
    Gustavo Demétrio
    VIDA DE LEITOR - vidadeleitor.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  8. Giulia, querida, que linda resenha!
    À medida que fui lendo tb lembrei de Exrtaordinário e já senti uma pontinha de dor ao imaginar o quao diferente são os dois finais... como lemos, sabemos por quê.
    Deve ter ficado fofo mesmo uma página tipo diário, com coisinhas coladas como eu fazia na adolescência... mal posso esperar para ler!
    E como vc não é mãe, talvez tenha sido salva por isso para não se comover profundamente a ponto de chorar... eu facilmente choro, imagino que as meninas que têm filhos vão se derreter tb. Quando vc tiver o seu vai entender.
    Mais que uma resenha, o que li é um convite irrecusável para uma leitura sensível e que vai mudar nossa maneira de ver as coisas. Nada melhor que uma criança para fazer isso elas têm uma habilidade incrível!

    Na lista!

    ResponderExcluir
  9. Oi Giulia, estou imaginando a maravilha que deve ser este livro, e olha que eu não achava que seria tudo isso!
    Bjs, Rose

    ResponderExcluir
  10. Flor estou curiosa, muito mais do que ansiosa, e esse toque de diário que a editora fez com recortes, clipes e colagens no decorrer do livro deve ter dado o diferencial que nós leitores ficamos buscando incansavelmente né? Adoro dramas e livros que façam a gente ficar emocionados do inicio ao fim. Mas ao contrário da maioria das pessoas não choro fácil com leitura, nem chorei com ACEDE, mas achei lindo demais!

    ResponderExcluir
  11. Oi Giu, tenho visto muitas resenhas desse livro na blogosfera e estou doida para lê-lo. Adoro histórias contadas por crianças, que tenham um quê de drama e realidade. Beijos, Mi

    www.recantodami.com

    ResponderExcluir
  12. Me envolvo até quando não quero, chorei nesse livro no momento do Felix :( Como a Yasmin disse, mesmo na morte o Sam foi vida o livro todo. Eu adorei e achei a diagramação linda <3

    http://www.ohmydogestolcombigods.com/

    ResponderExcluir
  13. Sem ler o livro comparei com ACEDE e Extraordinário e foi a primeira resenha que li com nota menor que o máximo, hehe...
    Eu acho que dá pra não chorar e/ou ficar triste e mesmo assim amar o livro.
    Eu não fiquei triste com ACEDE e Extraordinário. Tirei lições e acho que a vida e as estórias de Sam são lições. Troço pela recuperação dele e acho que se algo de ruim acontecer eu vou chorar... ai sim, hehe.
    Temo que como estou lendo muitas resenhas eu me decepcione. Acho que paro por aqui, hehe.
    Bjs

    ResponderExcluir
  14. Giulia-flor, você é "osso duro de roer", kkkk. Eu gosto das suas resenhas, mas geralmente quando os leitores se emocionam com uma leitura você apresenta um ponto de vista menos emotivo, kkkk. Esse livro está entre os meus desejados justamente pelos valores que ele apresenta, mas confesso que me senti temerosa se realmente apreciarei a leitura já que – embora parecido – não aborda o tema morte/vida (ou vida/morte) com a leveza e o envolvimento que Extraordinário faz com outros temas.
    Gostei da sua opinião. :3
    Beijos!

    http://www.myqueenside.blogspot.com

    ResponderExcluir
  15. Li uma resenha não muito positiva desse livro, mas creio que eu daria uma chance a ele sim por conta da história e da sensibilidade, talvez não tão tocante, da autora em relatar a história de um menino que tem que viver ainda que com uma morte iminente, exercitando o Carpe Diem. Sem dúvidas, é um livro que por mais bobo que seja, vai me dar uma lição bastante valiosa.

    ResponderExcluir
  16. Tenho muita vontade de ler este livro também, parece ser lindo por não tratar de coisas tristes, mas da alegria de viver cada minuto como se fosse único. Gostei muito da resenha, parece ser uma estória linda que nos faz refletir muito. :)
    beijos

    ResponderExcluir
  17. Acho esse livro lindíssimo, a história é muito comovente, recomendo a todos. Minha unica duvida fica entre qual capa é mais bonita.

    ResponderExcluir
  18. Ah com certeza é um livro bem triste =(
    Sabe estava querendo muito ler ele por causa dos comentários e ver se é tudo isso.
    Mas não estou desejando leituras tão tristes assim, sabe? Quero coisas mais alegres, aventuras, fantasias... dramas assim é complicado, mas depois lerei sim.

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito importante para nós e será sempre respondido, volte para conferir!
Se possível, deixe o link de seu blog, adoramos conhecer espaços novos e retribuir a visita!