09 dezembro 2013

Old but gold: quem é um bom garoto?

Oiiisss, tudo bem com vocês??

Como muitos de vocês pediram, a segunda edição do Old But Gold, escrito novamente em parceria com o Matheus Braga (Alpha deste wolfpack, rs) do blog Vida de leitor, será sobre a mitologia que circunda os homens que podem se transformar em lobos nas noites de lua cheia, os lendários lobisomens.

O objetivo deste texto é, assim como o "Old But Gold: O que aconteceu com o Vampiro que estava aqui?", trazer à tona uma discussão sobre a "romantização" - neste caso seria a "domesticação" - dessas criaturas mitológicas que permeiam não somente a literatura, como também jogos e contos de fadas "desde as eras mitológicas".

"Eu sou o Alpha"

As lendas que envolvem os licantropos têm sua origem na mitologia grega, quando Zeus transformou Licáon, o primeiro rei de Arcádia, em lobo, pois, este ousou servir para o Deus dos Deuses a carne de um bebê humano em um jantar. Contudo, existem várias outras interpretações e origens deste mito e uma delas é a versão brasileira, que dita que a sétima criança, de uma sequencia de sete filhos do mesmo sexo, se tornará um lobisomem.

Os lobisomens vivem em bandos e devem obediência e devoção ao lobo Alpha. Para ser um Alpha, o referido lobisomens deve ser descendente de uma linhagem de Alphas ou, através de uma batalha até a morte, tomar o poder de um outro Alpha, herdando então o seu bando.

Contudo, para se tornar um lobisomens Beta (aqueles que não são o Alpha do bando), basta que você seja mordido por um outro lobo ou amaldiçoado por um mago ou sacerdote de grande poder. No primeiro caso, teoricamente, o que seria responsável pela transformação seria o vírus lykanthropminus que sai da presa do lobo como o veneno sai da presa da cobra. As lendas mais modernas afirmam que apenas artefatos feitos com prata podem matar essas criaturas. Contudo, coisas como decapitação, arrancar seu coração ou incendiá-lo, são bem eficientes.

"A mordida é um presente"

Na literatura, as criaturas já eram mencionadas desde Bocage em seus sonetos, até se transformarem em criaturas adoráveis e desejadas pelas mulheres, como é o caso de Jacob de Crepúsculo e de Sam de Calafrio. Já na TV, o encanto e objeto de desejo da maioria feminina fica por conta de Scott MacCall de Teen Wolf. Confira aqui um apanhado sobre a série > Teen Wolf

Porém, o que nos fez discutir bastante, foi a questão da natureza desta criatura e de sua drástica domesticação. Segundo as lendas, o lobisomem é uma criatura híbrida, dividida entre a natureza humana e a animal, sendo que independente o seu caráter como humano pois quando a criatura se transformada, ela fica animalesca, cruel e completamente implacável com seres indefesos. É o maior inimigo dos pastores de ovelhas, dos andantes noturnos e das crianças das aldeias onde vivem e ele está sendo vendido como algo que pode ser objeto de desejo por alguém, tanto com uma conotação sexual como na obtenção de força, agilidade e melhores sentidos.


"Tenha orgulho do que você é!"

Seria possível então que a natureza humana se sobreponha à do lobo como estão tentando nos empurrar na literatura e na TV? Não nos lembramos nenhuma criatura totalmente maligna, exceto a do filme O Lobisomem de 2010. Muito pelo contrário, o licantropo trazido pelas lendas atuais são aqueles que são forte o suficiente ou amam sua(seu) parceria(o) o suficiente para fazer com que sua bondade humana dominar seu instinto animal, como é o caso do Professor Remo Lupin de Harry Potter e de Monroe da série Grimm.

Você, caro(a) leitor(a), opta por uma literatura/cinegrafia onde tais seres são retratados como os animais que realmente são durante as luas cheias, ou prefere a versão domesticada onde ele não só pode controlar seu lado selvagem, como também é capaz de amar e ser amado?

PS: Uma grande dica e exemplo do que realmente acontece com a transformação dos lobos é o que ocorre na série Hemlock Grove (eu, Matheus, indico essa série). Lá, durante as luas cheias, o personagem principal realmente esquece seu lado humano e destrói tudo aquilo que possa lhe causar algum mal. 

Texto por Matheus Braga & Chrys Audi

14 comentários:

  1. Gente, amei demais esse post, que explicação fantástica. Bom, apesar de eu adorar seres sobrenaturais, confesso que os lobisomens são os que menos gosto. Desde criança achava-os seres repugnantes, não só pelo seu lado animalesco irrefreável, quanto pela sua aparência nojenta.. kkk Portanto, para mim, os menos piores são os de hoje em dia, mais domesticados e com uma aparência mais apresentável. Por ex., curto muito mais a ideia do Jacob, que ao virar animal ele se transforma num lobo mesmo, do que os humanos que ficam peludos e deformados, como teoricamente seria a aparência de um lobisomem tradicional, sabem? Além disso, gostei por ex. da ideia do imprinting que a Meyer colocou no livro, que diz respeito a reprodução da melhor espécie para o clã e tal. Também é legal saber que pelo menos entre seus pares há um amor e respeito mútuo. Ele não precisa ser dócil, mas pode ter alguns limites a não serem ultrapassados. Apesar de contradizer tudo que penso, outra personificação de lobisomem que gostei bastante, ultimamente, foi a da Ruby, do seriado Once Upon a Time. Beijos, Mi

    www.recantodami.com

    www.recantodami.com

    ResponderExcluir
  2. Confesso que eu prefiro os lobos domesticados, nunca fui fã dos outros algozes que saem dilacerando a pele de inocentes e assustando todo mundo rsrsrs Quando eu li A Garota da Capa Vermelha eu esperava um lobo domesticado e me surpreendi com o lobo sem piedade que pegava quem queria e fazia todo mundo da aldeia ficar em casa a portas trancadas. Mas tem certos lobos que não me convencem como é o caso de Jacob, ele pode ser lindo, gentil e adorável, mas não parece o ser que muitos temem, parece mais um poodoe de alguma madame que ao chamar vem na mesma hora, o mesmo do Scoot de Teen Wolf ele nem age como um logo é o HOMEM cheio de sentimentos o tempo todo, aliás todos os lobisomens da série são assim apesar de alguns tentarem enganar provocando lutas e usando suas garras para acertar os outros. Vou ver essa série que o Matheus indicou para ver como são os lobisomens de lá.
    Abraços, Raquel.

    ResponderExcluir
  3. acho que como ja havia percebido antes os autores buscam retratar essas criaturas um pouco mais humanas, por assim dizer, que possam fazer parte do imaginário feminino!
    como a Mi eu curto mais o ser que vira a criatura em si, acho que crepusculo foi uma revolução nesse sentido, pois antes o que se pensava em lobisomem vinha a mente um cara peludo e de short rasgado, certo? como Jake ganha mais realidade e naturalidade
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. A eu sou romântica e por isso prefiro a versão domésticada, mas de toda forma os lobos com os quais eu mais tive contato na tv foram os Lokwood de TVD e quando se transformavam eles faziam mesmo uma bandalheira, por isso o Tayller sempre contava com a ajuda da Caroline para se acorrentar, e depois de transformado ele ainda tentava ataca-la. Bjs...
    anna-gabby.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Acredita que nunca li nada relacionado a lobos? Nem assisti também! Aliás, Crepúsculo conta? Acho que não, mas enfim, mesmo sem ter lido eu tenho muita curiosidade com relação a esses seres. Dá para acreditar que aqui em minha cidade existem pessoas que realmente acreditam que esses seres existem?? Existem até depoimento de pessoas defendendo sua teoria e tal, mas enfim, adorei o post!

    ResponderExcluir
  6. Adorei essa coluna! Sempre tão interessante e rica em informações sobre essas figuras mitológicas que encontramos na literatura.
    E mais uma vez, me posiciono contra a domesticação de um animal que originalmente foi feito para ser a criatura selvagem, sem a baboseira de amar, ser amado, enfrentar o domínio selvagem dentro de si, etc.
    Mas é um padrão que virou tendência e já tem afetado mais criaturas como anjos, demônios, deuses... É o que as pessoas querem ler, então o que fazer se não adaptar ao que requerem?

    ResponderExcluir
  7. Ai Chrys que sensacional esse post! Arrasaram assim como no sobre vampiros. Assim como a Mi os lobisomens nunca foram meus seres sobrenaturais favoritos, nunca gostei deles. Nem do Jacob, e olha que amo a saga, acho o ator bonito e tal mas o personagem dele não me chama muita atenção. Sempre achei-os repugnantes e animalescos (óbvio né Greice?!), apesar de que Lupin me conquistou, assim como Tyler de TVD. Já na série Teen Wolf vi uns 4 episódios e detestei, mas ainda vou continuar vendo porque todo mundo ama então deve ter algo bom ali né? E você também gosta bastante então ainda darei uma chance à série. Mas de qualquer forma prefiro as outras mitologias, domesticado ou não os lobisomens não são meus amados.
    Eu acho que cada autor cria sua mitologia da forma que quiser e acho que é preconceito dizer que uma coisa não é boa só porque o personagem, seja ele zumbi, lobisomem ou vampiro, foi romantizado. Esse tipo de história tem seu público, assim como os mitológicos do mal também têm o seu, só acho que tem muita gente que não respeita isso, o que é bem ignorante.
    Chrys mais uma vez parabéns pelo post maravilhoso, recheado de informações. A maioria delas eu não conhecia e adorei saber, obrigada!

    Beijos, Greice.
    diariodaalvorada.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  8. Estão romantizando tudo. Zumbis, vampiros, lobisomens... está um ó. Gosto do sanguinário, assassino *-* Adoro essa coluna, me identifico MUITO!
    Super Abraço,
    Victor Rosa - Encantos Paralelos

    ResponderExcluir
  9. Vivendo e aprendendo, eu ainda não tinha parado para pensar em outras lendas que falam sobre a origem do lobisomem além da versão brasileira, viva a mitologia nacional! Quem sabe vocês não possam falar mais sobre ela é muito interessante apesar de conhecer pouco. Com relação ao nosso amigo lobisomem, para começar eu não gosto de filmes de terror e portanto não gosto de coisas sangrentas então a opção do lobisomem bonzinho me é mais aceitável ou assistível deu pra entender né! Mas sempre é mais legal preservar as origens, as vezes as pessoas mudam tanto que perde a graça.

    ResponderExcluir
  10. Não gosto desse negocio de lobisomens bonzinhos, eles são seres animalescos e devem ser retratados dessa forma. Já basta oq fizeram com os vampiros, se fizerem isso com os lobisomens tambem eu morro de desgosto. -_-
    Eles pode ser boas pessoas quando estão em sua forma humana, mas quando se transformam eles não sabem mais oq fazem e realmente matariam sua pessoa amada... lobisomem "bom" é lobisomem assim.

    ResponderExcluir
  11. A versão domesticada é mais bonita, mas confesso que já tenho enraizado dentro de mim que lobisomem que é lobisomem, após se tranformar, perde todas as suas características humanas, então, mesmo achando a versão domesticada mais... digamos, fofa, para mim ela é extremamente falsa. Enquamto humano, o lobisomem pode amar, e etc, mas quando ele está tranformado ele perde todas essas características e qualidades. Lembro de quando eu era pequena e passava na televisão um desenho que contava algumas histórias mitológicas e uma delas era a do lobisomem, do homem que se tranformava em fera após a lua cheia e que no dia seguinte não conseguia se lembrar de nenhum mal que fizera, se até um desenho infantil retratava os lobisomens desse jeito, quem sou eu para discordar? rs O que, de forma alguma tira o mérito da criatividade dessas escritoras que conseguiram transformar feras que aterrorizavam pessoas em animais de estimação lindos e portadores do mais puro sentimento.

    ResponderExcluir
  12. Ótima postagem! A cada semana ficamos sabendo um pouco sobre esses seres que nos causam tanta curiosidade e medo né! Embora eu não seja fã de lobisomens, aliás, eu tenho medo, desde a novela "O Roque Santeiro" que tinha um cara lá que se transformava em lobisomem, eu era criança e isso me traumatizou eu acho,rsrs, mas mesmo assim, gosto muito de filmes com esses bichos, sinto um medo danado, mas assisto, é uma relação de amor e ódio, sem explicação! :)

    ResponderExcluir
  13. Fora Crepúsculo que cita um pouco (porém não conta muito a história de lobos ou lobisomem), eu nunca li nada relacionado a lobos. Não é que eu não goste, mas nunca procurei saber de um livro bacana.

    ResponderExcluir
  14. Adorei o post!
    Estou fazendo umas pesquisas pra escrever e curti muito a explicação.
    Prefiro os lobisomens de verdade, que não conseguem se controlar quando estão transformados e vou seguir essa linha na minha história! :D

    http://www.pensamentoseminstantes.com.br/

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito importante para nós e será sempre respondido, volte para conferir!
Se possível, deixe o link de seu blog, adoramos conhecer espaços novos e retribuir a visita!