27 dezembro 2013

Old but Gold: "E lá vamos nós!"

Hey pessoal, tudo bem?

Estão sentindo este cheio de magia no ar? Então, é que o "Old But Gold" dessa semana é sobre bruxas!! Isso mesmo, essas criaturas que podem ser lindas e charmosas ou velhas pútridas com mais verrugas que um sapo.


"Tá servido?"


Desde que o mundo é mundo as bruxas povoavam as lendas da população. Quando falamos em bruxa, logo vem à nossa mente uma velha corcunda e com uma verruga na ponta do enorme nariz, é ou não é?! Contudo, após a romantização desse ser e com a criação de novas figuras que também são capazes de dar forma ao poder, como os xamãs e sacerdotisas, as bruxas passaram a adquirir uma aparência mais nova e humana.

Na idade média, elas eram caçadas durante a inquisição (conjunto de instituições dedicadas a erradicar o sincretismos de alguns grupos religiosos que adoravam algumas plantas e animais) e um dos métodos para identificar uma possível bruxa era comparar seu peso ao de uma Bíblia gigante. As mais leves eram consideradas bruxas, pois em suas concepções as bruxas eram dotadas de uma leveza sobrenatural. Outro método que também é relacionado à leveza das bruxas era o de se amarrar em seus pés uma grande pedra e soltar em um rio profundo, se ela afundar e morrer afogada, ela era humana, se não, ela era retirada da água e queimada na fogueira. E imaginem só, todas afundaram, pasmem! ¬¬

Lembra quando disse que algumas versões elas eram dotadas de uma "beleza" pútrida, então...

A aversão a gatos pretos também provém desta época e o motivo deve-se às bruxas estarem sempre acompanhadas desse animal, que era considerado como espírito guardião da arte das bruxas, que habitavam o corpo de um animal. Outras mitologias já tratam que, um dos poderes das bruxas era o de se transformar em um gato preto ou na imagem de seu familiar (animal que simboliza o poder de uma bruxa, como a águia que simboliza o poder de premonição pois está associado à sua excelente visão de caça).

Quem nunca assistiu esse clássico episódio do desenho Pica-Pau?

Antigamente, as bruxas eram consideradas e replicadas como seres maus, que voavam em suas vassouras a noite em busca de crianças, que transformavam pessoas em animais, cozinhavam em caldeirões e tinham uma gargalhada horripilante. Elas eram essencialmente más. E realmente essa era a intenção, especialmente pela igreja que objetivava estereotipá-las e construir uma figura apavorante de modo a manter sua soberania religiosa. 

Outro exemplo de que nos séculos passados elas era estereotipadas, era o fato de que em todas as histórias infantis, as bruxas eram más. Em joão e Maria, por exemplo, eram adeptas à antropofagia, na história de "A Branca de Neve", a bruxa faz maldades porque deseja ser bela; As Esquisitonas de Shakespeare, Morgana de Arthur, As Bruxas de Salém e As Bruxas de Eastwick completam a lista das malvadas.

Só que os tempos mudaram e hoje, elas são jovens e lindas, a ponto de fazer com que muitas mulheres e adolescentes desejem, dentre todos os seres sobrenaturais, ser uma bruxa. O que antes era um xingamento "sua bruxa", hoje é visto como símbolo de poder. Quem antes era um ser mau e repugnante, hoje é dotado de beleza, carisma e bondade. Elas não só foram ganhando seu espaço no mundo como também na literatura e o que antes era uma mera dominação da energia natural e habilidade para misturar plantas medicinais para a criação das famosas compressas, passou a ser algo mais verbal e desejável como os bruxos e bruxas da famosa saga Harry Potter, com suas varinhas capazes de transformar seu melhor amigo em um copo ou ceifar a vida de uma pessoa com meia dúzia de palavras em latim.

Bruxa versão 2.0

Mas a pergunta que não quer calar é "Quem fez das bruxas seres amáveis?"

Em nossa memória, tudo começou com a Sabrina, aprendiz de feiticeira, série televisiva que estreou em 1996, onde uma adolescente de 16 anos vive com as tias bruxas e tenta controlar seus poderes para poder viver entre os mortais. Logo em seguida, em 1997 tivemos a estréia de Harry Potter, que semeou a bondade ao mundo e abriu o mercado literário para essa versão amável das bruxas, tanto é que temos a série "The Secret Circle", "Hex Hall", "Beautiful Creatures"(tecnicamente conjuradores, mas mesmo assim uma ramificação das bruxas), entre outras.


Hoje em dia, na literatura pelo menos, conseguimos manter as duas correntes: a das bruxas más e a das bruxas boas e, listamos a seguir, algumas indicações que possuem o selo Alphabeta (Matheus e Chrys) de qualidade:

Bruxas más:

- As Bruxas de Salem - Arthur Miller

- A Bruxa de Near - Victoria Schwab

- Série Bruxas Mayfair - Anne Rice

Bruxas boas:

- A Descoberta das Bruxas - Deborah Harkness - Diana Bishop é o sonho de consumo do Matheus. Sua maior crush literária de todos os tempos.

- A Colina das Bruxas - Marion Zimmer Bradley

- O Sussurro das Bruxas - Anna Dale

Confira os demais posts da série:
- Old But Gold: O que aconteceu com o vampiro que estava aqui?
- Old But Gold: Quem é um bom Garoto?

Texto por Matheus Braga e Chrys Audi. Selo Alphabeta de qualidade.

14 comentários:

  1. Oi Chrys, adorei o post. Confesso que, mesmo quando as bruxas ainda eram más e feias, eu sempre desejei ser uma bruxa por causa do poder e das peculiaridades, como você mesma descreveu: "se transformar em animais, cozinhar em caldeirões, voar de vassoura, ter um anel mágico e varinha, etc". Acho que quando ela passou a ser romantizada, começou a ser vista como uma "feiticeira", e não mais como bruxa, ou seja, praticante da magia boa, amante da natureza, etc. As coisas foram ficando ainda mais comum com a popularização da cultura Wicca. Hoje em dia, diversos jovens são praticantes e buscam covens para serem inicializados na magia. Até eu ia adorar, mas não conheço nenhum por aqui.. kkk Beijos, Mi

    www.recantodami.com

    ResponderExcluir
  2. Pra falar verdade, eu nunca fui muito fã da figura da bruxa dos primeiros séculos. Até porque eu só comecei a acompanhar desde a era do Harry Potter, tendo lido também As Blumas de Avalon e assistido a série The Secret Circle. Confesso que tenho uma queda pelas bruxas boas.
    E adorei a foto do episódio do Pica-Pau. Até o título "e lá vamos nós" foi sugestivo. Hahaha.

    ResponderExcluir
  3. as bruxas permeiam nossa mente como tenebrosas criaturas, seres diabólicos e do mau! mas como todos os seres fantásticos ganharam nossa afeição, o mundo conjurador criado por Kami Garcia e Margareth Stohl são um bom exemplo.... e poxa lembrei do episódio do pica pau inteirinho!
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Nunca tinha parado para pensar nisso! Existem muitos tipos de bruxas mesmo! Nossa! Eu gosto mais das más! Na realidade todos os seres mitológicos malvados foram tornando-se "bonzinhos" affeee! Pra mim bruxas tem que ser feias e cruéis! Vampiros sanguinários e lobisomens assassinos da lua! Gosto mais destas versões clássicas! Lobinho na coleira, vampiro com purpurina e bruxa princesinha é o ó e essa coisa de se apaixonar, hmmm acho que não! Hehe!

    ResponderExcluir
  5. Hahaha, que bacana! Adorei o post, é sempre bacana saber mais sobre personagens e seres tão consagrados. Eu que já tinha AMADO a dos lobisomens agora adorei a das bruxas. Adorei a parceria de vocês dois para falar um pouco mais do assunto. Adoro os posts. Tenho vontade de ler A Descoberta das Bruxas (creio que da Rocco).

    ResponderExcluir
  6. Logo que você disse "bruxas" me veio a mente a série Hex Hall ^^. Nossa acho ridículo e horrível o quão ignorantes as pessoas eram antigamente e sempre que ouço/leio algo referente as ditas "bruxas de antigamente" fico pasma com as barbáries que o ser humano é capaz de infringir ao seu semelhante. Sinceramente, gosto da romanização desses personagens em específics, pois ao contrário dos lobisomens e vampiros, pessoas foram acusadas e mortas pelo pré julgamento de serem bruxas e consequentemente serem seres maléficos.

    ResponderExcluir
  7. Oi! Estou adorando essa coluna, é um verdadeiro banho de cultura! Já ri horrores com esse episódios do pica pau. E eu prefiro as bruxas boas, gosto de acreditar na bondade de todas as criaturas, não gosto de estereótipos e gosto das bruxas como guardiãs da natureza. Bjs...
    anna-gabby.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. Tem um filme antigo q mostra bem essas bruxas jovens e sexys 2.0. Acho q vc deve conhecer, o "jovens bruxas"... É antigo mas é bom demais esse filme. ^^

    ResponderExcluir
  9. Gostei demais do post!
    Acho que bruxas estão presentes em várias mídias desde "sempre", mas realmente a forma como elas são apresentadas vai mudando com o tempo.
    Gosto de histórias com os dois tipos. Tudo depende do que a trama se propõe a fazer!
    bjs

    ResponderExcluir
  10. Que máximoooo! Adorei o texto todo, relembrei meus tempos de criança vendo a bruxinha do Pica Pau, eu também adorava Sabrina, era um seriado delicioso de ver e realmente ele veio pra desmistificar a história de que bruxa tem que ser má! Muito bom a matéria, não sabia que amarravam uma pedra grande nas pessoas e as atiravam num rio pra testarem se eram bruxas na época da Inquisição, isso era horrível demais né!

    ResponderExcluir
  11. Muito legal mesmo. As coitadas no tempo da inquisição sofreram viu com a neurose da igreja católica.
    Eu queria ser uma bruxa dessas legais cheias de poder lutando contra as forças do mal ou simplesmente para combater aquele povo chato que fica aperriando a gente, kkkkkkkkkkk viajei um bocado não foi? Parabéns, adorei conhecer mais sobre as bruxas. Espero ver mais posts do Old but Gold. Beijos

    ResponderExcluir
  12. "E lá vamos nós!" Adoro esse episódio kkkk
    COnfesso que de todas as mudanças apresentadas a que eu mais gostei foi das bruxas. Uma colega está me viciando em bruxas e estou assistindo Witches of East End e American Horror Story: Coven e esrou procurando livros sobre o tema pq estou AMANDO!
    Super Abraço, Victor Rosa
    Encantos Paralelos

    ResponderExcluir
  13. Olá, quando li o título "E lá vamos nós!" estava tentando me lembrar onde tinha visto essa frase kkkkk muito bom o ser que vocês escolheram dessa vez. Eu não tenho um preferência das bruxas boas ou más, mas eu peguei a época que elas começaram a ser boas, amava Sabrina quando era criança e ainda gosto a humildade e simpatia da bruxinha me encanta sem falar de seu gato que é um amor. Mas as más também me agradam porque sempre tentam algo bem ruim, como a Cuca do Sítio do Pica-pau Amarelo na minha época ela era má e fazia alguns feitiços no seu caldeirão. Gostei muito das indicações quero ler A Bruxa de Near e ver a série Hex Hall.
    Abraços, Raquel.

    ResponderExcluir
  14. Harry Potter é vida e The Secret Circle é uma pena ter sido cancelada. Eu amo filmes e livros onde retratam bruxas boas, porém eu também gosto de quando contam histórias daquelas que são terríveis.

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito importante para nós e será sempre respondido, volte para conferir!
Se possível, deixe o link de seu blog, adoramos conhecer espaços novos e retribuir a visita!