20 junho 2012

É Curioso # 2 - By Samantha Monteiro


Olá!!
Como foi a semana de vocês?
Vamos conversar hoje sobre Alice?!?
Hoje trouxe uma super curiosidade que envolve Clássicos e teorias criadas por fãs. 
Então, vamos lá?!


Vocês lembram que o chapeleiro maluco de Alice No País Das Maravilhas pergunta "Qual a semelhança entre um corvo e uma escrivaninha?" e nem mesmo ele consegue responder a charada?
Pois bem, existem duas respostas para tal pergunta, uma que envolve um pequeno estudo semiótico em um dos discursos de Lewis Carroll e outra que está ligada à influência Literária.
Mas vamos por partes.
Quando perguntaram para o autor a resposta para tal enigma ele respondeu que não tinha uma resposta, mas um fã da estória chegou a uma conclusão a partir de um comentário:
“Because it can produce a few notes, tho they are very flat; and it is never put with the wrong end in front."
(Porque ela pode produzir algumas notas, eles são muito planos/monótonos e nunca são postos de trás para frente)

Carroll tinha colocado na frase 'Nevar' e as editoras corrigiram para  'Never' sem perceber o trocadilho, já que o contrário de Nevar é Raven, que significa Corvo e a palavra ao contrário não tem uso algum no seu idioma. 
Mas também há a teoria de que a semelhança entre um corvo e uma escrivaninha nada mais seja que uma referência ao escritor Edgar Allan Poe.
Poe é conhecido por sua escrita gótica, dentre elas o poema O Corvo.
E seus contos, Poe trabalhava o terror psicológico ao contrário das tradicionais estórias que exploram o terror causado por algo externo. Os personagens sofrem um terror descomunal a partir de seus próprios medos.
Nenhum de seus contos é narrado em terceira pessoa, desse modo, vê-se como realmente é sempre "ele" que vê, que sente, que ouve e que vive o mais profundo e escandente terror. São relatos em que o delírio do personagem se mistura de tal maneira à realidade que não se consegue mais diferenciar se o perigo é concreto ou se trata apenas de ilusões produzidas por uma mente atormentada.
O Chapeleiro estaria se referindo, assim, ao escritor (escrivaninha) e ao poema (o corvo).




Samantha Monteiro

4 comentários:

  1. Nossa, se vc não fala nunca ia adivinhar essa charada ^^

    bjs

    ResponderExcluir
  2. Nossa, a Samantha consegue descobrir coisa
    que nem o autor do livro poderia imaginar.
    Adoro esta coluna.

    Bjos meninas.

    Cida

    ResponderExcluir
  3. Essa minha amiga Sami é um orgulho!
    Super criativa e perfeita nas palavras.
    Achei sensacional.
    manuscritodecabeceira.blogspot.com
    Bjs.

    ResponderExcluir
  4. Que legal, Samantha! Amei a curiosidade!

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito importante para nós e será sempre respondido, volte para conferir!
Se possível, deixe o link de seu blog, adoramos conhecer espaços novos e retribuir a visita!