04 novembro 2013

James Patterson admite a escrita terceirizada

André Bernardo publicou matéria na coluna etc/ best-selling da conceituada revista Galileu, sobre o autor best-selling James Patterson. O título da matéria é "Maquina de escrever, James Patterson, o autor mais rico dos EUA garante fama e fortuna redigindo seus livros coletivamente". O autor possui mais de 100 livros publicados, destes, 14 só no último ano, o que equivale a um lançamento a cada 27 dias.


O cerne da questão, é, seria possível um ser humano escrever tanto assim???

Patterson admite publicamente que utiliza a escrita terceirizada, ou seja, o escritor possui uma equipe de escrita com mais ou menos 20 assistentes e a cada 15 dias revisa o que foi produzido por eles. Ele explica que “Normalmente, escrevo uma sinopse detalhada da ideia que tenho em mente, algo em torno de 50 ou 60 páginas, e a entrego a um coautor para desenvolver a história” e que  "Às vezes, digo: ‘Puxa, que legal! Vamos em frente!’. Outras vezes, pondero: ‘Ei, espere, precisamos conversar’”.

Sabendo disso, não me admira que a série Bruxos e Bruxas tenha perdido a linha, confesso e admiti em minha resenha que, a ideia é boa, mas foi mal desenvolvida e agora, tendo lido a matéria e as declarações do autor norte-americano, entendo o porque dessa minha impressão.

James possui mais ou menos 500 sinopses catalogadas, que servem de inspiração para os novos livros. Ele afirma que nem que quisesse teria tempo de colocar cada uma delas no papel

A forma atual de trabalho do autor está dando certo, pelo menos financeiramente, mas e a confiança dos leitores? como realmente saber se aquela obra foi exclusiva do mestre do suspense, ou se gostamos mesmo da narrativa do co-autor? Será que ele é um talento da escrita ou dos negócios ???

Ao lado de Patterson em número de publicações, porém sem admitir a escrita em conjunto, estão Nora Roberts e Danielle Stell, com 223 e 118 obras publicadas respectivamente. Já Stephen King admite que escreve todos os seus livros (palmas), segundo a biógrafa Lisa Rogak, seu segredo consiste em acordar cedo todos os dias e escrever por algumas horas.

Sinceramente eu fiquei desapontada com essa informação, pois eu procuro a essência do autor em cada publicação, costumo me identificar com a escrita, com a narrativa, com o rumo que as histórias tomam, que inevitavelmente pela similaridade da escrita e das palavras, deixam uma marca do escritor, e dessa forma, fica difícil traçar isso em relação a James. Como eu disse na resenha de O Dom, amei O Diário de Suzana para Nicolas, ali tudo foi original e não clichê e esperava mais dessa história de bruxos.

Porém, sou obrigada a reverenciar James, que se tornou um líder capaz de inspirar e gerenciar mentes brilhantes, inegavelmente, ele possui as competências essenciais que o mercado de trabalho busca atualmente, empreendedorismo com foco no resultado.

O que vocês pensam sobre isso? vamos debater o assunto, comentem!

Beijos



33 comentários:

  1. Por isso vejo tantos livros desse autor. Já imaginava que ele fizesse isso e sinceramente não me admiro muito. Mas como só um livro do autor, não posso dizer se esse tipo de escrita terceirizada é bom ou ruim.

    Bjus
    http://infinitoparticulardoslivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Chrys eu não curti saber disso, não! sabe por que? como assim ele não escreve todos os livros? poxa então não são dele! é de outra pessoa! será que é tão necessário assim figurar no hall dos mais vendidos mesmo sabendo que várias obras vc escreveu algumas poucas páginas enquanto os outros ficam a margem, sem reconhecimento?
    poxa chateei agora! não sei se foi ele quem escreveu diario de suzana para Nicolas que eu amei de paixão ou se foi algum de seus coautores!
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Eu acho que se ele não é o escritor deveria pelo menos creditar os coautores, além disso o que ele está fazendo é enganar seus leitores fiéis. Admito nunca li nada dele, mas ouvi falar que seus livros parecem estar decaindo

    ResponderExcluir
  4. Nossa, que decepção... Acho que o minimo que essa "equipe" ser reconhecida por seu trabalho, pois, em minha opinião, a parte mais difícil, desenvolver a história, fica pra eles.
    Até o momento o único livro que li dele, ou que é assinado por ele, foi Bruxas e Bruxos, e me decepcionei, devido a fama do autor e a propaganda exagerada tinha altas expectativas que não foram atingidas, o livro está longe de ser o pior que já li, é até legalzinho, mas eu esperava mais...

    ResponderExcluir
  5. Eu já tinha percebido isso, sabe. Sempre pensava: mas como e possível um autor escrever tanto? Ai comecei a reparar as capas e percebi que realmente alguns livros são em parceria com outros autores.
    E que autor não gostaria de escrever um livro com o maior autor da atualidade? Acho um pouco feio ele usar esse status dessa forma.

    Admiro o autor pela visão, no entanto, sua "genialidade" vai até onde. Será que ele é uma fraude? kkkk - estou querendo polemizar as coisas.

    Eu li O dia da caça esses dias e adorei a narrativa, fiquei preso e me vi obrigado a não gostar de nenhum daqueles personagens porque a qualquer momento eles podem morrer. (O_o) Aparentemente o livro foi escrito só pelo autor, sem parceria, mas será? hsuahsasuhsa

    Gostei do debate proposto.
    Abraços.

    Rogério Queiroz - Uma dose de palavras.
    http://uma-dose-de-palavras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Muito chata essa situação. Fica difícil saber qual o estilo do autor, a marca da sua escrita. Será que todos oa livros ótimos são dele ou dos coautores? Quando li esse post lembrei na hora da Nora Roberts e da Danielle Steel. Alguns livros são fantásticos e outros são tão ruins que fica difícil de acreditar que elas escreveram.

    Beijos
    Caline
    mundo-de-papel1.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  7. Não, não curto escritores que terceirizam dessa forma seus livros, ideias ou seja lá o que for. Para mim, isso deixa de ser a essência do escritor. Pelo amor, escritor tem de sentar e escrever, pôr sua experiência de mundo nos livros, nas histórias, nos personagens, e não pagar alguém para desenvolver suas sinopses. Palmas para o King. Qualidade em primeiro lugar, quantidade depois. Conheço autores de um romance só que são melhores do que James, que possui uma centena.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  8. Acho meio estranha essa terceirização... Porque por mais que o James tenha a ideia quem desenvolveu o texto foi outro e ele sim é o autor, fazendo do Patterson um co-autor ou melhor um orientador.
    Acho que ele é um gênio do mercado editorial, sabe o que o publico quer e sabe como coordenar seus "pupilos" para chegarem lá.
    Sobre a série Bruxos e Bruxas, a diferença existe, acredito eu, porque foram pessoas diferentes que desenvolveram as narrativas. O Patterson aparentemente só os guiou por onde ele acreditou ser importante.

    Como autora iniciante acho meio estranho pensar em "dar" minha ideia a outra pessoa para que ela desenvolva a história.
    Letras & Versos

    ResponderExcluir
  9. Poxa, fiquei bem desapontada com o autor. Como leitores, quando a trama e a narrativa é cativante nos tornamos fãs do autor. Ficamos com vontade de ler outros livros dele (a) e até indicamos a leitura para outras pessoas.
    Ainda não li nada do Patterson e agora a minha vontade de ler algo dele diminui bastante. Talvez apenas Diário de Suzana para Nicolas se salve (pelas milhares resenhas positivas que já li), e provavelmente deve ter sido um dos seus coautores que escreveu =/

    ResponderExcluir
  10. Sinceramente, eu penso que isso é uma palhaçada da parte dele. Uma coisa seria o cara ajudar novos autores, mas deixar que eles colocassem o nome na capa, aí seria admirável. Agora você mandar alguém escrever POR você, só para ter mais títulos publicados, isso é inadmissível.
    Quem disse para o Patterson que o negócio é ter 100 livros publicados por ano? Não é isso que esperamos de um bom autor, mas sim sua marca e talento em cada livro.
    Estou MUITO desapontada, confesso. Uma pena!
    bjs

    ResponderExcluir
  11. Eu concordo com a Érika Marinho, como eu li apenas “O Diário de Suzana para Nicolas”, do autor então não posso comparar as formas de escrita dele. Mas acredito que essa terceirização não tem incomodado tanto aos fãs, pois senão ele não teria tantos.

    *bye*

    http://loucaporromances.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Eu não sei nem o que pensar quanto a isso, como ainda não li nenhum livro do autor não posso afirmar nada sobre os livros e vou confessar que não tinha notado a sua quantidade de livros publicados até ler esse post. E realmente praticamente a cada mês tem um livro dele sendo lançado pela arqueiro. Se tivesse lido algum livro dele ia me sentir enganada, agora nem sei mais se quero ler. Ele deveria dar o crédito aos seus co-autores e desistir da profissão, afinal se ele escrevesse apenas suas sinopses de 50-60 folhas ele não ia lucrar nem metade do que deve faturar com "suas" obras. Essa notícia é bem surpreendente, eu nem sabia que existia esse tipo de escrita, e é bem estranho quem aceita ser assistente para fazer isso, dando sua criatividade para outro ganhar o crédito.
    Abraços, Raquel.

    ResponderExcluir
  13. Eu estou simplesmente chocada.. sério! Não imaginava que isso existisse. Já tinha ouvido de Ghost writer, mas que possui um objetivo diferente, mas nunca de escrita terceirizada. Consigo ver pelos dois pontos de vista. Em relação ao autor, acho um artifício interessante, afinal, James está certo. Temos tantas histórias aprisionadas no nosso ser que seria impossível colocar todas no papel. E imagino que ele deva ser o criador da premissa e deva fazer toda uma sinopse ou argumento detalhado para dar para o coautor. Além disso, é uma ótima forma de ganhar dinheiro, certo? Agora, pela ótica do leitor, sinceramente, me sinto completamente enganada. Afinal, o que James de fato escreveu? Que texto de fato corresponde ao estilo dele de escrita, aos dias sem fim de bater de teclas do computador? Porque história por história, temos por aí aos montes e geralmente quando nos tornamos fãs de um autor, queremos ler tudo o que ele escreve.. mas e quando lemos algo que não foi ele quem escreveu? Aff.. sei não viu. Excelente post. Simplesmente confirmou as suspeitas que já possuía. Beijos, Mi

    www.recantodami.com

    ResponderExcluir
  14. Gente, que coisa! Tá explicado... Isso de certa forma tira o mérito do escritor...

    Bjs, Isabela.
    www.universodosleitores.com

    ResponderExcluir
  15. OMG ele tem o dom de escrever..se escreve coisas boas já é outra coisa , mais dou valor a uma pessoa que tem uma mente tão criativa que consegue criar ou recriar histórias...Estou com um livro dele para ler com ótimas críticas mais a série Bruxos e Bruxas desisti depois de tantas críticas negativas.

    ResponderExcluir
  16. Lamentável essa terceirização. Eu não apoio.
    Histórias devem fluir naturalmente e não deve ser tratada como um simples negócio. A questão não é quem publica mais por ano ou quem vende mais. Os escritores deveriam ter mais respeito para com seus leitores e escreverem livros com carinho, pensando na satisfação de cada um ao fim de cada obra lida.
    Terceirando a escrita, isso é banalizado. Realmente lamentável.

    ResponderExcluir
  17. Oi Chrys, também não gostei muito desta ideia de terceirização. Que o autor tenha um outro autor para dividir o enredo tudo bem, mas que outro escreva baseado em uma sinopse já não gosto. Em relação a série que você citou, as resenhas que li do volume 2 foram bem abaixo das expectativas, quem sabe se tivesse sido as mesmas pessoas, não teria sido diferente?
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
  18. cara confesso não curto o autor e não consigo gostar das coisas q ele escreve
    Seguindo o Coelho Branco

    ResponderExcluir
  19. nunca li esse autor, mas fiquei desapontada, agora é que não leio um livro dele mesmo! Sempre procuro a essencia do autor nas entrelinhas do livro, e se ele teve somente a ideia, sem escreve-la. que graça tem?

    ResponderExcluir
  20. Escrita terceirizada faz com que o autor perca seu estilo. Bruxos e Bruxas é um livro ruim com uma publicidade boa, e foi a publicidade que convenceu a maioria das pessoas comprarem! Não acho que os livros da Danielle Steel não são terceirizados, porque já li mais de 50 livros dela e o estilo dela é tão marcante nos livros dela que nem parece que estamos lendo livros diferentes. A Nora Roberts também tem um estilo marcante nos livros dela.

    Meu Filme virou Livro

    ResponderExcluir
  21. É uma pena, fiquei um pouco decepcionada pois ele está entre os autores que mais gosto, mas infelizmente hoje em dia o que fala mais alto, é o dinheiro, é o faturamento, e isso faz com que ele tercerize suas obras, se os livros tercerizados são bons ou ruins, eu não tenho idéia, mas só o fato de não ser ele o criador da historia toda, já caiu muito no meu conceito! Mas é o que voce diz, em matéria de empreendedorismo, ele é 10 né!

    ResponderExcluir
  22. Olá Chrys!
    Confesso que só li o livro O Diário de Suzana para Nicholas dele até hoje, e amei! A escrita, a história... tudo.
    O assunto é realmente polêmico... e infelizmente o dinheiro realmente está acima de tudo e de todos hoje. Acho uma pena ele terceirizar as histórias, mas ele tem fama, e isso faz com que o povo leia os livros (mesmo não sendo dele). Isso é bom, pois, de um jeito ou de outro, as pessoas estão lendo, certo? rs.
    Mas infelizmente quem escreveu a história não está tendo o merecido crédito. A fama.
    Há prós e contras. Acho justo ele correr atrás do sucesso dele... Mas não é pra tanto né? rs.
    Beijos,
    Ana M.
    http://addictiononbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  23. Não achei muito legal não e realmente parece que ele está dando mais importância ao dinheiro do que agradar aos leitores. Porem não posso dizer muito coisa sobre a escrita dele por que afinal de contas ainda não li nenhum livro dele, então não tenho um base para falar se a ideia é realmente ruim ou não. Se eu descobrisse que algum dos meus autores favoritos começasse a fazer isso não iria ficar muito feliz não.

    ResponderExcluir
  24. Confesso que sabia muito pouco a respeito da escrita terceirizada. Tema polêmico mesmo... Acho um pouco desleal com quem é muito fã de determinado autor. Mesmo que a idéia seja dele, a forma de escrever, de desenvolver o assunto é diferente...

    ResponderExcluir
  25. Fiquei de cara com essa notícia! É claro que depois de ver taaaanta gente reclamando dos livros novos eu já suspeitava de que ele só estivesse emprestando o nome pra outras pessoas escreverem, mas sabe quando você prefere não acreditar? Não sei ao certo o que pensar sobre isso mas fiquei muito desapontada e digo que perdi toda a vontade que tinha de ler os livros "dele". Cadê a identidade das obras? Você acha que está lendo James Patterson mas não está! Acho então que quem dá o desenvolvimento para a história deveria pelo menos levar um crédito no livro já que não é ele quem desenvolve toda a proposta. Não sei, não gostei muito dessa notícia, apesar de o post estar excelente Chrys! Obrigada pela informação.

    Beijos, Greice.
    diariodaalvorada.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  26. Oi!
    era de esperar por tantos livros lançados e por isso uns sai bons e outros nem tanto e isso sempre me deixou em cima do muro.
    bjs

    ResponderExcluir
  27. É tão estranho, vc vai todo feliz comprar um livro do autor, vira fã, e quando percebe vc não é necessariamente fã do autor?
    Por isso admiro autores/autoras, como J K Rowling, que escrevem seus livros e surpreendem!
    Super Abraço, Victor Rosa
    encantosparalelos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  28. Fiquei desapontada com a noticia, até hoje só li Bruxos e Bruxas mas tinha vontade de ler outros livros do "autor", não tenho o que esperar dos livros, já que na verdade, não são dele. Patterson perdeu toda a credibilidade comigo, ele pode ter as ideias, mas não é ele quem as escreve, com certeza é um grande Empreendedor, mas não deveria levar o crédito de escritor pelas obras, o nome que deveria vir em destaque deveria ser do "co-escritor" e não o dele.

    http://fuxicandosobrelivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  29. Será que ele realmente leu O Dom? Olha, nunca li nada dele mas se eu soubesse que a minha autora favorita não escreve totalmente seus livros, eu ia ficar muito desapontada mesmo, isso não é justo.

    ResponderExcluir
  30. Esse homem não existe gente. É muito livro, ele é talentoso demais. Eu obviamente não li todos os livro dele, mais com base nos que eu já li, posso garantir que são todos magníficos (pelo menos para mim).

    ResponderExcluir
  31. Olha sinceramente, isso acho que todos já sabiam.
    Impossível uma pessoa escrever tanto assim. E se vermos, tem vários assim..
    Claro que acho desnecessário, tudo para ganhar mais, aposto... mas tudo bem né.

    ResponderExcluir
  32. O filho dele, Jack Patterson, um moleque de 18 anos, já tem uns doze livros publicados no currículo. É possível? Não me parece plausível, e tal fato segue à revelia de algo, minimamente, racional, e que mereça algum debate que busque uma justificativa para isso. Depois de ter ganho dinheiro demais, agora acha que pode fazer o que quiser e de qualquer jeito. O curioso é que ainda há público para isso.

    ResponderExcluir
  33. O filho dele, Jack Patterson, um moleque de 18 anos, já tem uns doze livros publicados no currículo. É possível? Não me parece plausível, e tal fato segue à revelia de algo, minimamente, racional, e que mereça algum debate que busque uma justificativa para isso. Depois de ter ganho dinheiro demais, agora acha que pode fazer o que quiser e de qualquer jeito. O curioso é que ainda há público para isso.

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito importante para nós e será sempre respondido, volte para conferir!
Se possível, deixe o link de seu blog, adoramos conhecer espaços novos e retribuir a visita!