14 setembro 2015

{Resenha} Zoo - James Patterson e Michael

Nome do livro: Zoo
Autor(a): James Patterson e Michael Ledwidge
Editora: Arqueiro
Nº de Pág: 304
Classificação: 
Sinopse: Uma misteriosa doença começa a se espalhar pelo mundo. Inexplicavelmente, animais passam a caçar humanos e a matá-los de forma brutal. A princípio, parece ser algo que se dissemina apenas entre as criaturas selvagens, mas logo os bichos de estimação também mostram suas garras e as vítimas se multiplicam.A humanidade é presa fácilApavorado, o jovem biólogo Jackson Oz assiste a escalada dos acontecimentos. Ele já previu esse cenário alarmante há anos, mas sempre foi desacreditado por todos. Depois de quase morrer em uma implausível emboscada de leões em Botsuana, a gravidade da situação se mostra terrivelmente clara.O fim da civilização está próximo.Com a ajuda da ecologista Chloe Tousignant, Oz inicia uma corrida contra o tempo para alertar os principais líderes mundiais, sem saber se as autoridades acreditarão em um fenômeno tão surreal. Mas, acima de tudo, é necessário descobrir o que está causando todos esses ataques, pois eles se tornam cada vez mais ferozes e orquestrados.Em breve não restará nenhum esconderijo para os humanos...
Zoo é uma obra de ficção estrangeira escrita por James Patterson em conjunto com Michael Ledwidge e publicado aqui no Brasil pela Editora Arqueiro e possui sua adaptação para a tv com a série homônima transmitida pela emissora CBS e com os direitos adquiridos pela Netflix Us (oremos para a Netflix Brasil conseguir os direitos de exibição, eeeee).

Fiquei com o pé um pouco atrás por conta de ser mais um livro do James em coautoria e com a trajédia que Bruxos e Bruxas foi para mim, estava bastante disposta a não ler mais nada nestas condições, contudo, a sinopse é tão, mas tão atrativa e a série é absolutamente excepcional que me rendi, me rendi e..... Ah, leia e saiba o que me surpreendeu e o que me decepcionou.

Zoo se passa em um período pré apocaliptico onde os animais não se intimidam mais com a presença do ser humano, pelo contrário, começam a vê-lo como ameaça e começam a caçá-lo. Todos os animais, dos selvagens aos domésticos começam a se comportar de maneira estranha, convivendo pacificamente entre si, havendo uma comunicação interespécies para coordenar e programar os ataques.

Comparações são injustas mas inevitáveis, o livro tem uma premissa interessantíssima mas peca na execução, faz os fans de Michael Crichton (Congo, Parque dos Dinossauros) inflarem e murcharem em tempo recorde. Achei um desperdício de ideia, eu esperava muito mais da parte científica, das explicações genéticas e biológicas das criaturas e isso não veio. Acredito que pelo fato de serem autores de suspense e não de thrillers científicos, como é o casoore do mestre Crichton. Para alguns será suficiente um tratamento superficial, mas para mim não foi, não convenceu e me levou a crer que a série é mais convincente (até aqui, claro).

Esperei uma investida na parte apocalíptica, que magistralmente fugiu do pensamento engessado de que Apocalipse = Zumbi e acabei me decepcionando, a história dá saltos inexplicáveis no tempo e deixam o leitor com cara de ponto de interrogação.

Sim, o livro tem ação, tem suspense, tem mistério, mas faltou "sustância". Outro ponto positivo a ser destacado foi no que diz respeito à emoção dos animais, o respeito às criaturas e sua natureza foi preservado, me fazendo amar mais o Chipanzé Atilla que seu dono, o protagonista biólogo Jackson Oz.

Uma marca registrada de Patterson é a brevidade dos capítulos e a pausa em momentos importantes da história, fazendo com que o "virar de páginas" seja incessante e quase que imperceptível. A Narrativa alterna as vozes, sendo ora através da perspectiva de Jackson, ora em terceira pessoa (importante nas cenas de ataques), mas se o livro tivesse sido narrado totalmente em terceira pessoa, talvez tivesse me atraído mais.

A teoria lançada pelo livro chega a ser crível, mas ainda assim o senti falta de seu desenvolvimento, aprofundamento científico já que a ambientação era essa, entre o biólogo, sua esposa ecologista e demais cientistas aos quais Oz consegue convencer.

O livro não é ruim, mas não é excelente, a série modificou quase que completamente a trama, inseriu novos personagens, motivação e conta com muito mais ação e expansão territorial. Por essa razão acho que me decepcionei um pouco, mas acredito que minhas razões para achá-lo mediano sejam todas subjetivas, o que serve para fazer com que vocês leiam antes de ver a série e voltem aqui para debater comigo.

A Edição Brasileira tem a mesma capa publicada lá fora (Thank God e Arqueiro) e é lindíssima e intimidante rs. O tamanho e espaçamento da fonte é ótimo, ponto para a Editora.

Caso haja um pouco mais de curiosidade, fiz um post específico sobre a série que você encontra aqui. e o trailer aqui:

2 comentários:

  1. Ai Chrysssss, que balde de água fria eu levei agora, mas olha, a culpa não é sua, eu já devia imaginar tudo isso, vindo de uma obra de coautoria com o James. Desde que descobrimos a terceirização das obras, passei a implicar demais com ele, e sempre noto o mesmo porém em todos os livros, a premissa é incrível, mas falta "substância" no enredo. Poxa, achei q ideia de Zoo tão fantástica! Pena que o autor (que não é James :P ), não soube desenvolvê-la. Mas quer saber, melhor estar ciente disso, porque tenho tantos livros para ler que, ao menos, não perco meu tempo. Beijos e obrigada pela ótima resenha, Mi.

    www.recantodami.com

    ResponderExcluir
  2. tenho lido muita coisa a respeito, confesso que acho um pouco assustador os bichos se voltarem contra os homens, mas a trama a trama tinha tudo pra ser uma das tops, pena que não foi bem desenvolvida
    felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito importante para nós e será sempre respondido, volte para conferir!
Se possível, deixe o link de seu blog, adoramos conhecer espaços novos e retribuir a visita!