29 agosto 2012

Quotes # 1 - O Livro de Julieta

Oieee

Este é o primeiro post de quotes que estou fazendo, meio que como um teste... Se vocês gostarem, prometo trazer mais!

Você pode ler a Resenha deste livro, AQUI.






















"Quando Julieta nasceu e nos disseram que tinha síndrome de Down, minha dor veio em forma de nostalgia. Uma doce nostalgia das entranhas, da minha filha. Onde estaria a menina que eu imaginara toda a gravidez?"

"É como ouvir falar muito sobre alguém que não conhecemos (o namorado de uma amiga, o chefe do marido, o avô de uma colega de trabalho). Sem querer, criamos uma imagem dessa pessoa. O rosto, a cor do cabelo, o tipo de voz e até a personalidade. Depois, quando finalmente a conhecemos, é raro que a imagem que criamos coincida com a realidade".

"as crianças com síndrome de Down têm uma capacidade infinita de perdoar e esquecer as afrontas."




"Claro que eu sabia que a síndrome de Down não pode ser alterada, que não tem cura, mas o poder da negação é forte (...) Nós nos aferramos à idéia de que a ciência nos presenteará com uma solução depois de amanhã, simplesmente porque o nosso filho nasceu hoje." (Pág 10/11).

"Em outros momentos no entanto, algo dentro de nós parece louco para nos convencer de que isso não nos afeta tanto (...)" (Pág 11).

"Os dias desfilavam na tênue fronteira que separa uma mãe dolorida, alguém que enfrenta o futuro com uma raiva paralisante, de uma mãe nostálgica, mas disposta a vencer tal situação. E essa tênue fronteira estava nas coisas mais simples, na primeira gargalhada ou nos primeiros passos da sua filha, nas palavras certeiras ou carinhosas de uma amiga, num marido com quem podemos dividir tudo (e que desde o princípio compreendeu melhor a situação), ou na certeza de que, no fundo, a realidade não tem tanta importância e nossa percepção é que interessa ("o pior inimigo", li em algum lugar, "não é aquele contra quem lutamos, que está fora de nós, e sim a exaltação que fazemos dele na nossa mente")." (Pág 11).

"No princípio, abre-se um abismo entre pais e ele, começar a amar é muito complicado... E não ser capaz de amar quando somos obrigados a fazê-lo é algo espantoso." (Pág 12).

"Porque essa menina foi enviada a mim, e não a Elena e Cristina de Bourbon, ou a Catherine Zeta-Jones?" (Pág 13)

"Ninguém em sã consciência aguentaria uma situação assim absurda. Perco a paciência. Por que negar que, nesse momento eu seria capaz de estrangulá-la?" (Pág 15)

"Todo o resto, o que vemos nos primeiros dias (os olhos puxados, ponte do nariz achatada, tônus muscular abaixo do normal, orelhas pequenas...ou seja, o que chamamos "fenótipo"), é uma ciência inexata." (Pág 19).

"No final, soprando a minha franja para enxergar melhor, eu dizia a mim mesma que o que acontece com os trevos-de-quatro-folhas também é um excesso de material genético: um cromossomo extra, uma folha extra" (Pág 20).

"E é em momentos assim, de dificuldade, que descobrimos quem realmente é essa pessoa em cujo nome atuamos." (Pág 21).

"Antes do nascimento de Julieta, eu me lembro de Daniel ter dito que não seria capaz de conviver com um filho com deficiência, que desmoronaria. (...) Mas hoje, ele mesmo diz que tomou as decisões mais importantes e valentes de sua vida em nome de Julieta." (Pág 21).

"Na vida, não podemos escolher mais do que duas ou três coisas, que não costuma ser as mais importantes. (...) a escolha da nossa atitude diante de coisas que não podemos alterar." (Pág 21).

"Há pouco tempo, li num manual que temos em casa que, no começo, os pais costumam trabalhar intensamente, e que isso acontece porque, no fundo, não conseguem amá-los" (Pág 54).

"Mas nenhuma delas se compara a ver Julieta na água. As vezes, a felicidade é uma cosquinha"

"Sem falar na ambição que temos incrustada no cérebro e nas carências que projetamos nos filhos.Queremos que eles sejam o que nunca fomos, que aprendam idiomas que não pudemos aprender, que toquem os instrumentos que nunca conseguimos tocar... E, claro, quando uma criança nasce com síndrome de Down, tudo se retorce..." (Pág 104).

"O difícil é aceitar que esse menino ou menina "imperfeito" tem nosso sangue!" (Pág 105).

“Talvez eu tenha escrito tudo isso para saber o que não sabia que sabia. Meu único objetivo era (e ainda é) atravessar a ponte e chegar ao território de Julieta, enxergando-a exatamente como ela é” (pág 149).

Espero que tenham gostado e que comentem bastante!

Beijos
Chrys

9 comentários:

  1. Adorei os trechos. Pode traze mais.
    Eu ainda não tive a oportunidade de ler esse livro, mas ele parece ser muito profundo e verdadeiro. Eu nem consigo imaginar a dificuldade que deve ser tratar de alguma criança com Síndrome de Dawn ou com outra doença igualmente complicada.

    Livinha's Place (para acessar vá ao meu perfil, google está excluindo blogs que deixam seus links no fim dos comentários)

    ResponderExcluir
  2. Minha sobrinha está louca para ler este livro.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
  3. Ola, quantos quotes.. adorei

    vou dizer um do livro que terminei hj
    Agnus dei a idade do sangue


    "... - Não quando estou sozinha. Quando estou só eu, eu não tenho que me preocupar com o que ninguém vai pensar. Eu vivo minha vida toda para os outros, porque eu não consigo me impedir de fazer isso. Mas quando eu estou só é...é muito bom. - o sorriso dela explicou para Lucas exatamente o que ela queria dizer. Ela gostava de ficar em paz. Gostava de não ser incomodada." - pag: 180

    bjs
    http://www.dailyofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Oie!!!
    Passando para visitar o seu blog e deixar uma MSN especial pra vc.
    A vida é passageira, por isso aproveitem todos os momentos que vc tem nela.
    Chore quando quiser chorar.
    Sorria quando quiser sorrir.
    Cante e pule quando tiver vontade.
    Seja feliz, não ligue para que os outros pensem.
    Seja vc mesmo.
    Em frente a tudo e a todos para conquistar seus sonhos, objetivos e até mesmo um novo amor.
    E quando o seu dia chegar, vc vai olhar pra trás e dizer: _Eu fui feliz, não pq a felicidade veio até mim, e, sim, pq fui até ela.
    Fica com Deus.
    Toninha

    Twitter @toninhavr
    Blog http://cantinhodatoninha.blogspot.com.br/
    E-mail toninhavr@hotmail.com
    Face ToninhaFerreira
    FanPage Educar – O primeiro passo

    ResponderExcluir
  5. Gente, adorei os trechos. São bastante intensos!

    ResponderExcluir
  6. Oie!
    Não conecia esse livro... Mas, gente, adorei os quotes. Parece ser uma história emocionante. Me interessei bastante e adorei esse tipo de post! :)

    Beijos

    ResponderExcluir
  7. uma graça os trechos! parece abordar bem a situação de pais que se veem diante de uma situação dessa! criam a imagem de um filho perfeito e quando nasce algo diferente veem a decepção!
    Acredito que o livro seja um jeito de meditação, pois temos que aprender a nos adequar e amar as pessoas da forma que são!

    parabens pelo blog
    www.leituradeouro.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. Gostei desses quotes, tive uma noção melhor da história. Ótima ideia.

    ResponderExcluir
  9. Amo esses quotes que você posta aqui, Chrys! :)

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito importante para nós e será sempre respondido, volte para conferir!
Se possível, deixe o link de seu blog, adoramos conhecer espaços novos e retribuir a visita!